sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Duas crianças e uma cadeira de rodas!

Oiii gente

Esse fim de semana eu filmei meus dois sobrinhos sequestrando a minha cadeira de  rodas.  Então, resolvi postar aqui no blog. Eles têm um fascínio com a cadeira de rodas. Sempre aprontam, mas eu sou uma tia muito orgulhosa. Desde muito pequenos eles estão acostumados com a deficiência e a estranheza não faz parte do cardápio desses dois. Claro que as perguntas sempre são frequentes, imagina o que se passa  nas mentes curiosas, mas respondo do jeito mais fácil possível. Às vezes não consigo driblar eles. (risos) O Gustavo um dia me falou que o sonho dele era ser cadeirante, porque ficaria sempre sentado, só rodando pra lá e pra cá. Mal sabe ele que essa é a parte boa de ser cadeirante... (risos)
Qualquer dia  farei um post falando das peripécias dos dois.

Vamos ao vídeo!!! Um vídeo de amadora, mas o que importa é a intenção.

video


Beijo Grande!

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Só um post!




Depois que você se torna cadeirante tudo muda, principalmente seu corpo. Ele muda completamente e isso nos remete estranheza, pois tudo aquilo que é diferente assusta. Agora, você se encontra sentada e com muitas limitações. É um momento de reflexão. E também de avaliar tudo que restou. Movimentos, esperanças e claro, objetivos. As dificuldades não serão poucas, mas ultrapassar cada uma delas nos torna pessoas mais fortes em amplo sentido. Os momentos de raiva, rancor e ódio fazem parte desse processo, pois sem colocar tudo o que você realmente sente pra fora não irá conseguir ultrapassar essa fase complicada. Mas, depois a maré fica mais suave e é hora de seguir a sua vida. Quando esse processo de aceitação acaba você consegue olhar para trás e até colocar um sorriso nos lábios.  Eu posso afirmar com propriedade, pois já passei por isso e sei como os sentimentos e tudo que a gente acredita ficam de certa forma abalada. Eu lhes digo, é só uma fase, e sempre ter o olhar positivo diante dos acontecimentos não tão bons nos torna pessoas comuns como qualquer outra, como todos temos as nossas angustias e dificuldades e não vou mentir.  Elas prevalecem por algum tempo, mas não é por não andar que nos tornamos heróis  existem tantos heróis por outros motivos.  Sabe o que realmente somos? Pessoas, gente, ser humano que quer o direito de ir e vir como qualquer outro.  Bom, e o corpo como fica depois disso tudo? Muitos cadeirantes têm a imaginação fértil  e o costume do pessimismo, outros colocam na cabeça que só irão voltar a viver quando os movimentos por um passe de mágica voltar. Ah, como seria bom viver nesse mundo surreal. Como se de uma hora pra outra só com um copo de ovomaltine com células tronco dentro e pronto. Os movimentos viessem. Ah, mas a vida não teria graça se as coisas fossem tão simples assim. O que vale a pena de verdade nessa vida de cadeirante são dificuldades que passamos os perrengues, e olha que não são poucos. Eu que o diga! (risos) As mudanças no seu corpo é uma forma agressiva que você acorda e... Alô acorda você é um cadeirante, entendeu agora? Pernas finas, dores, coluna torta e movimentos cada vez mais reduzidos. Bom, agora não vou poder pular, correr? Será que vou poder tomar banho sozinho? Essas são as mais frequentes perguntas que todo "malacabado" faz depois de está sentado em uma cadeira. Eu lhes digo que tudo depende da lesão e também da vontade do cadeirante. Fazer fisioterapia ajuda muito na recuperação, pois assim ser tornará independente, que é um fator crucial na vida de qualquer "lesado" Correr, pular, subir escadas isso é muito relevante, você pode rodar por aí, muito melhor. (risadas altas) Agora, pernas finas, coluna torta, quem vai perceber isso? Coloca uma saia curta e seja feliz!

Beijo Grande! ;)

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Projeto: Desmontando a Cadeira de Rodas...

Halteres de 2 e 4  quilos
Depois de alguns meses de fisioterapia os resultados já estão aparecendo. Claro que não são muitos, aos poucos eu vou conseguir alcançar o meu objetivo. Para ser mais disciplinada comprei até dois halteres de dois e quatro quilos, assim podendo continuar os meus exercícios em casa. Quanto mais, melhor  e com mais rapidez vou conseguir o meu objetivo, que no caso é ganhar força nos braços.  Então, pra quem não sabe sou uma cadeirante (novidade) e quero conseguir desmontar a minha cadeira de rodas pesando aproximadamente 15 quilos e eu  pesando mais ou menos uns 52. Ahhhhhh, que saudades dos meus 48 quilinhos, quando tinha 20 anos, agora que completei 25 as coisas mudaram.... KKKKK   No começo da fisioterapia comecei com os pesos, até aí tudo bem, depois fui para a máquina de musculação, quando cheguei a esse ponto surgiram muitas dores nos ombros e nas costas. Mas tudo é o começo, agora meu corpo já acostumou com os pesos e sente até falta... rsrs  O negócio de juntar as escapulas que pegou, até hoje às vezes me esqueço, to aprendendo. Tornar- se independente custa tempo e também provoca dores, é necessário para o crescimento do ser humano, ainda mais se for cadeirante. Eu quero isso  pra mim, nunca se sabe o dia de amanhã. Essa semana vou testar novamente desmontar a cadeira e qualquer avanço posto aqui para vocês saberem as minhas conquistas.

Ah, conto com a torcida de vocês, meu leitores queridos!
Eu não sei o que seria de mim sem esse blog, onde conto minhas alegrias e tristezas. Eu adoro escrever, mesmo escrevendo pouco. (Entenderam né?)  Na realidade escrevendo é onde me transbordo completamente, eu não sou muito de falar, sempre fui muito tímida, isso tem melhorado bastante ao longo do tempo. Vamos crescendo por dentro e por fora como pessoa, fazendo amigos, somos um emaranhado de coisas esquisitas que alguns aceitam e outros não. 

Como disse Dona Canô (mãe do Caetano Veloso)

"Ser feliz é pra quem tem coragem."

E é com essa frase que vou ficando por aqui!
Beijo Grande!