quarta-feira, 21 de maio de 2014

A vida sempre continua







Estar sentada em uma cadeira de rodas sem motivo aparente causa espanto as pessoas. Cadeirante é sinônimo de acidente, seja de carro ou moto, mas também existe a minoria por alguma má formação, distrofia e lá vem doenças incuráveis que atravessam nosso sangue, carne sem pedir licença e temos que ter muita sabedoria para poder lidar com esses "tipinhos".  Se alguém te perguntar qual a pior situação: Ter uma doença progressiva que aos poucos teu corpo vai perdendo os movimentos , ou quem sofre um acidente. 
 Que por consequência as duas situações vamos parar sentada em uma cadeira de rodas? Não saberia responder por base que cada pessoa é uma pessoa que vai saber dar a volta por cima naquele momento. O acidente é um motivo que não está nos seus planos. Estamos em uma vida normal, faculdade, trabalho, academia, filhos(as) , parceiro (a) e tudo vai por água abaixo.

A vida muda de uma hora para outra, todos seus planos parecem que estão fora do seu alcance, no entanto tudo na vida tem solução, só precisamos de algumas adaptações. A cadeira de rodas vai te levar muito mais longe que um dia você possa imaginar. Perdas todo mundo tem, mas temos que transformar essas perdas em ganhos. Estar em uma cadeira não significa doença, nem parecer estagnado, tudo flui, e um dia a gente encontra o nosso caminho.

É um processo lento e demorado, entretanto todos nós, cadeirantes ou não estamos em busca de alguma coisa. Algo que nos tire o chão, a nossa intensa busca pelo "Grande Talvez" das nossas vidas. Esqueçam o "se e quando" e se concentrem no agora, porque a vida passa rápida e constante demais e quando a gente vê, já passou, e o que fizemos dela. Escrevemos livros, plantamos árvores e fizemos filhos, mas a vida não resume nesses três componentes. Então trate de arrancar o Band-Aid. Dói, mas pelo menos acaba de uma vez e ficamos aliviados.

Não poder andar nos deixam atordoados, complicados, e até chorosos, mas o importante é saber aceitar o fato que você está cadeirante naquele momento, e existe muitas coisas piores que está ali, até me arrisco falar que o fato de ser cadeirante tem algumas vantagens. Bom, a progressiva te prepara para uma vida mais aceitável se é que essa palavra possa existir no vocabulário de uma pessoa que nasce com uma doença que evoluí a cada dia que passa. Isso é estranho, maluco, de um dia para as outras suas forças acabam, e de repente estamos sem mais nada, e no outro momento você está feliz, são relances de alegria e tristeza nessa transformação de andante, muletante para cadeirante.

Essas três palavras são tão inaceitáveis que até o próprio corretor de texto não aceita. Sabe aquele risco vermelhinho sublinhado, então elas estão assim, nesse exato momento. Mas, como adultos equilibrados, estamos aqui aceitando a vida do jeito que ela se apresentou para nós. Só não aceito a arrogância das pessoas, as perguntas idiotas, o preconceito, falta de rampas, falta de acesso, só não aceito quem fala que não gosta de livros, não aceito quem não se arrisca a mudar, mudar a cor, a forma de ser e pensar, não aceito quem não aceita as outras pessoas com sua singularidade.

Porque a vida é esse misto de coisas que vai e vem, sonhos, conquistas, amores e vidas entrelaçadas, nunca se sabe o que vai acontecer amanhã, por favor não reclame, as coisas fluem de um jeito torto, que nem imaginamos, pessoas chegam, outras saem de cena. E assim o ritmo louco e frenético da vida segue. Agora, pare e pense, como vai sua vida?


Beijos enormes!

4 comentários:

  1. Oi SUPER!

    Cada um com seu cada um. Cada qual com seu cada qual. Um trecho de seu texto que me chamou atenção foi: " Estar em uma cadeira não significa doença". Chega ser irritante quando somos abordados com frases do tipo:

    "você vai voltar a andar, tenha fé...tá fazendo fisioterapia?"

    Eu já nem ligo mais pra isso. Só acho que as pessoas deveriam perguntar antes de sair falando qualquer coisa ou fique calada mesmo (risos).

    SABE DE NADA, INOCENTE!

    E vamos vivendo a vida porque ela têm que ser vivida.

    Beijão SUPER!

    ResponderExcluir
  2. E estar sentada em uma cadeira de rodas e estar assim ... de pé pra vida e com disposição a enfrentar tudo que ela nos apresentar... Sempre em frente... te vejo assim... contagiante. Beijos

    ResponderExcluir
  3. Obrigada queridos pelos comentários! Ah, Luiz, também ouço demais que vou voltar a andar e também frases tipo: "que pena", "não deve ser fácil" . E sabe de uma coisa eu já até me acostumei com a situação de cadeirante, sei que ainda tenho muito que aprender para me tornar independente, mas aos poucos as coisas estão se encaminhando! Beijos pros dois! hahaha <3 <3

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita. Volte sempre!