segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Uma carta para a malformação




Oi malformação. Tudo bem? Como tem passado? Espero que bem. Bom, não sei se você sabe, no entanto você está em mim faz alguns anos. Eu não te odeio, e também não te amo. Na verdade, passei por vários momentos marcantes na minha vida com você. Consegui andar depois dos três anos e minha infância foi relativamente boa. Corri, subi escadas até cansar e em alguns momentos você foi relevante comigo. Meus joelhos viviam ralados e hoje levo a cicatriz de tanto cair por você.

Você me fez crescer não de tamanho, mas de ser apenas eu e não olhar para trás. Nas brincadeiras você me fez ser sempre “café com leite” e até que diverti. Brinquei, fui ao mar e senti a areia entre os dedos dos pés. Amei, namorei, decepcionei e me decepcionaram, chorei, sorri, cresci e a vida seguiu.  Às vezes você foi sensível, outras vezes muito relutante e com o tempo acostumei com a vida adaptável que eu enfrentaria todo dia.

Nem eu muito menos nós somos culpadas dessa trajetória que o destino acertou. Hoje posso dizer que você, malformação é quase uma amiga quem sabe até querida, daquelas que tomam chá em uma tarde chuvosa. Não me veria de outra maneira e nem saberia como enfrentar isso. Talvez se fosse de outra forma hoje nem estaria escrevendo esse texto. Claro que a gente sente lá no fundo do coração uma ponta de esperança, de poder um dia qualquer como todos os outros levantar com as nossas próprias pernas e seguir, só que não é assim tão simples.


No entanto me reinvento todo dia e nas dificuldades encontro e me reencontro e você já faz parte disso, todos os dias. Sabe de uma coisa malformação pode sentar-se e ficar à vontade pois o chá já está sendo servido. 

Publicado originalmente no Jornal: A Novidade

2 comentários:

  1. Priscila Carmem Garcia23 de novembro de 2016 12:57

    Senta fique a vontade ...
    Até o dia em que Deus te dará a ordem para que me deixe, e não sentirei saudades !
    E eu te direi malformação até nunca Mais!

    ResponderExcluir
  2. hahaha! Boa! por enquanto ainda é minha amiga e daquelas íntimas! Chata, convencida e outros adjetivos que melhor nem ser pronunciados aqui, ela pode escutar e ficar muito nervosa! kkkk Beijo e volte sempre!

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita. Volte sempre!